Dia de Danu - 31 de março


Divindade suprema do panteão celta, mãe dos deuses e dos homens.
É a mãe celeste que dança na espiral das estrelas, é a fonte de onde nasceu aquele povo antigo, que trouxe o druidismo à terra das esmeraldas.
Também conhecida como Danu, é a maior Deusa Mãe da mitologia celta.
Seu nome "Dan" significa conhecimento, considerada a senhora da luz e do fogo.
Há várias interpretações para seu nome, algumas são: "Terra molhada", e uma das mais poéticas: "Água do Céu".
É a Deusa da fertilidade.
Era ela que garantia a segurança material, a proteção e a justiça. 
Seu símbolo mágico é o bastão

 Dia 31 de março é a data de celebrar esta deusa da prosperidade e da abundancia.
Garante a seus filhos segurança material e justiça. Deusa Tríplice estelar governava muitas tribos.

Dia em que na Irlanda se celebrava a deusa Anu: aquela que dava aos homens prosperidade e abundância.
Este dia é dedicado á Deusa da prosperidade e abundância.
Os celtas neste dia acreditavam que dava muito azar emprestar ou pedir dinheiro emprestado, por prejudicar os influxos da prosperidade. 
Uma antiga, mas eficaz simpatia mandava congelar uma moeda, fazendo um encantamento para proteger os ganhos e evitar os gastos.

Danu, a Grande Mãe irlandesa 



“No início havia o Vazio, a vastidão do Nada,
a supremacia da criatividade não-diferenciada
Do vazio nasceu o Caos,
Da união entre o vazio e o caos originou-se Ana,
a Grande Sonhadora, Criadora e Tecelã dos mundos,
em cujo ventre fértil resplandeciam estrelas e planetas.
Da união entre o Sonho e o nosso Sol 
foram criados a Mãe Terra, o Pai Céu,
o oceano, os ancestrais primevos.
Do encontro entre o Céu e a Terra surgiram os Seres Brilhantes,
os Dakinis e os Dakas que trouxeram a luz ao mundo.

E do ventre de Ana, tocado pela luz das Plêiades,
nasceram os Tuatha de Danann,
o povo da deusa Danu”

Kathy Jones, “The Well of Ana”

Mirella Faur

Os primeiros relatos escritos sobre as lendas e as crenças dos povos celtas foram feitos pelos romanos, que invadiram a Grã Bretanha em 55 a.C.
Na medida das suas conquistas, eles incorporavam ao seu próprio sistema religioso mitos e conceitos dos povos indígenas, registrando-os, porém, de forma fragmentada e adaptada, em função da localização geográfica e da similitude entre uma divindade local e uma correspondente romana.
Esses registros referem-se aos antigos mitos irlandeses, galeses e escoceses, acrescentando, também, lendas das tribos celtas que tinham chegado posteriormente na Grã Bretanha (cerca de 500 a.C.), provavelmente vindo da França central.
Ocultas nas histórias encontram-se reminiscências das tradições pré-celtas, dos povos neolíticos, construtores dos círculos de menires e das câmaras subterrâneas, encontradas em inúmeros lugares nas ilhas Britânicas e na Bretanha (região do Oeste da França).
Essa herança ancestral, preservada durante milênios pela tradição oral e as práticas religiosas pagãs, parcialmente registradas por historiadores romanos, foi aproveitada, reinterpretada, deturpada e truncada nos relatos dos monges cristãos ao longo dos séculos.
Mantendo somente o que convinha à moral e aos dogmas cristãos, os monges reduziram o vasto panteão e a rica simbologia celta a relatos épicos de guerras, invasões, intrigas, traições e atos imorais, perpretados pelas várias raças e tribos, diferenciados apenas pela localização geográfica.
Mesmo preservando resquícios das verdades originais, as histórias cristãs minimizaram ou ignoraram a beleza e a sabedoria do legado celta, reduzindo ou distorcendo o seu valor mítico e espiritual.
Na visão patriarcal dos monges, as Deusas foram vistas como Rainhas e princesas, os deuses como Reis e Heróis e o significado transcendental foi diluído, modificado ou perdido.
No século XI foi publicado “O Livro das Invenções”, que descreve uma sucessão de 5 povos que teriam vivido na Irlanda antes da chegada dos celtas, os ancestrais dos habitantes atuais.

Nas lendas, estas raças diferentes são descritas de uma forma ambígua, tendo tanto características divinas quanto humanas e sendo apresentadas como deusas, deuses, gigantes, devas e seres elementais ( seres análogos aos de tantos outros mitos de várias culturas e países).
Sem precisar entrar em detalhes da complexa nomenclatura e das vastas descrições das batalhas, o importante é saber que cada uma dessas raças foi vencida e seguida pela seguinte, alternando-se assim seus mitos, suas divindades e sua organização social e religiosa.
A quarta raça - Tuatha de Dannan ou povo da deusa Danu -, apareceu de forma misteriosa: não da terra, de uma direção definida, como outros invasores, mas do céu, simultaneamente das 4 direções.
Aterrissaram no dia do Sabbat Beltane e depois fundaram 4 cidades que se tornaram os centros espirituais da Irlanda.
Tanto a sua natureza, quanto a sua origem, permanecem envoltos em mistério, mas sabe-se que seus atributos eram de bondade e luz.

Por terem vencido a “escura” e agressiva raça anterior foram por isso chamados de “seres brilhantes”. Trouxeram ensinamentos e objetos de magia, arte, sabedoria e cura e deixaram como marcos os círculos de menires e os monumentos megalíticos.

Após um longo e pacífico reinado eles também foram vencidos pela última raça, os precursores dos celtas; depois da sua derrota se retiraram no interior das colinas sagradas, tornando-se o assim chamado “Povo das Fadas”.
É importantíssimo ressaltar que apesar de se traduzir fairy por “fada”, este termo não descreve uma “diáfana figura feminina sobrevoando as flores”.
O sentido arcaico de Fairy People refere-se a seres sobrenaturais, com aparência etérica, sim, mas pertencendo a ambos os sexos, jovens que gostavam de música, danças, cores, flores, e abominavam o ferro (comprovação de sua origem anterior à Idade do Ferro).
O maior legado dos Tuatha de Dannan foi o culto da deusa Dana (também conhecida como Danu, Anu ou Ana), considerada a Deusa Mãe, progenitora das outras divindades.

Representando a força ancestral da Terra, a fertilidade, a vida e a morte, Dana foi posteriormente considerada como a representação da tríplice manifestação divina, da qual sobreviveu até hoje somente o culto à Brighid, cristianizada e fervorosamente venerada como a milagreira Santa Brígida.
Apesar do seu culto ter sido proibido pelo cristianismo e seu nome aos poucos ser esquecido, Danu está presente em toda a parte da Irlanda, seja nos verdes campos, no perfil arredondado das montanhas, no sussurro dos riachos.
O Seu lugar sagrado no Condado de Kerry, chamado Paps of Anu, reproduz, na forma das duas colinas, Seus fartos seios, cujos mamilos são formados por cairns, os antigos amontoados de pedras que foram formados pelas oferendas de pedras levadas pelos peregrinos ao longo dos tempos, em sinal de reverência e gratidão.
Atualmente, com o ressurgimento do Sagrado Feminino, Danu, assim como as Deusas de outras tradições, está sendo lembrada e reverenciada como Senhora da Terra, da água, da abundância, da plenitude da Natureza e da soberania.


Danu, a consorte de Dagda, é a deusa da terra, da vida e da morte.
É descrita como tendo três "faces" ou aspectos:
- Morrígan (Gralha da Guerra),
- Blaudewed (Dama das Flores, simbolizando a vida) e
- Brighid (A Velha, símbolo da morte).

Danu é uma entidade tão relevante que o "grupo" de deuses tidos como mais poderosos são comumente designados como "Tuatha Dé Danann" - o povo de Danu.


Outras denominações: Danu / Danna - Deusa provavelmente o mesmo como Anu, Mãe dos Deuses, Grande Mãe, Deusa Lua, Patrona dos Magos, rios, água, prosperidade e abundância.
Anu-Mãe Terra, Deusa de fertilidade, prosperidade e do conforto.


Pesquisa retirada dos endereços abaixo: 

 http://luzholistica.info/deusesdamitologiacelta.htm
http://www.teiadethea.org/
http://danacd.blogspot.com/

GRANDE ESPÍRITO – O MESTRE DE TODOS OS SERES

(No Coração do Grande Arquiteto Do Universo)

Ó Grande Espírito! Senhor de todas as coisas...
Eu nada sei dos Seus desígnios cósmicos e incomensuráveis.
Na verdade, mal entendo a mim mesmo.
Mas, eu sinto algo, bem dentro do meu coração.
E sei que Você sabe e compreende isso.
Porque Você conhece a todos os corações.
Porque Você está em tudo!

Eu não sinto Você sentado num trono celeste.
Pelo contrário, sinto Você dentro da própria vida.
Sinto o Seu Coração Cósmico pulsando em cada coração.
Na verdade, ouso dizer que Você está aqui, agora mesmo.
Porque há estrelas brilhando aqui também...
E elas estão dentro do meu coração.

E eu sei que isso é assim para todos os seres, acima e abaixo do Céu.
Porque o que está no Alto, é como o que está embaixo;
E o que está embaixo, é como o que está no alto;
No milagre de uma só coisa; tudo dentro do Seu Coração Universal.

Ah, o sábio Toth* estava certo: 
Você é o Todo que está em tudo!
E os ensinamentos estelares que ele ventilava eram certeiros e justos.
Porque falavam ao coração dos iniciados espirituais, em espírito e verdade.
E o grande sábio hermético tinha estrelas nos olhos e no coração.
Porque ele falava de Você como o Primeiro Amor, a Primeira Luz...

Eu nada sei sobre os mistérios universais e nem sobre profecias.
O que sei é o que sinto, aqui e agora... 
Uma aragem secreta e linda.
Um carinho por entre os planos... 
Um Amor incondicional.

Ah, quem me dera ter o poder de expressar isso em palavras...
Mas, o infinito não cabe em coisa alguma que eu imagine.
E, no entanto, ainda assim, eu escrevo, 
Porque tanto amor não cabe em mim.
E, se Você está em tudo, também está dentro dessas linhas.
E mais não posso dizer... 
Porque é algo que só o coração pode compreender.

Grande Espírito, valeu!

P.S.:
Ah, eu me lembro novamente dos ensinamentos dos iniciados de todos os tempos:

“O Todo está em tudo, mas nem tudo percebe o Todo**.

Meditem na Primeira Luz, e façam raiar a aurora da consciência cósmica.
Sintam o Primeiro Amor, e saibam que as estrelas são suas irmãs.
E todos os homens também. 
Por isso, abracem o mundo, em seus corações.

Ó, Grande Espírito! 
Hierofante de todos os seres...
Só Você conhece todos os homens e suas intenções.
Só Você sabe os motivos desses escritos.
Só Você pode apaziguar as emoções doloridas.
Só Você pode abraçar os esquecidos do mundo.
Só Você pode aplacar a dor de uma perda.
Só Você conhece todos os mistérios.
Só Você compreende o valor de cada um.
Só Você sabe a hora do despertar.
Só Você sabe o tempo de cada um.
Só Você sabe...”

Paz e Luz.

- Wagner Borges – aprendiz do Todo.
São Paulo, 20 de fevereiro de 2010.

www.ippb.org.br

- Notas:
* Thot (ou Toth) - dentro da Cosmogonia egípcia antiga era o escrivão dos deuses, o mensageiro celeste, o grande iniciado. Posteriormente, os gregos o chamaram de Hermes Trismegistro, o três vezes grande.
** O TODO – expressão hermética para designar o Poder Absoluto que está em tudo. O Supremo, O Grande Arquiteto Do Universo, Deus, O Amor Maior Que Gera a Vida. Na verdade, O Supremo não é homem ou mulher, mas pura consciência além de toda forma. Por isso, tanto faz chamá-lo de Pai Celestial ou de Mãe Divina. Ele é Pai-Mãe de todos.
Quando se afirma que o Todo – Deus, O Supremo, O Absoluto, O Grande Arquiteto Do Universo – é o Grande Hierofante, é no sentido de que Ele é o Supremo iniciador de todos os seres, pois está em tudo!
Obs.: Hierofante - dentro do contexto das iniciações esotéricas da antiguidade, era o mestre que testava os neófitos (calouros) nas provas iniciáticas.

Deusa Luna - dia 30 de março

Luna é a deusa romana da Lua.
Juntamente com Diana e Hécate, ela forma a tríade:
Luna como a Deusa do Céu,
Diana como a Deusa da Terra, e
Hécate como a Deusa do Submundo.

Ela é freqüentemente retratada como uma mulher pálida montada em uma carruagem prata, e foi assim também a patrona dos cocheiros.

Seu templo no monte Aventino, em Roma foi destruído pelo grande incêndio de Roma no ano 64 DC

Ela estava associada com doenças recorrentes e  acreditava-se que ela interferia na atitude das pessoas insanas.
A palavra "Luna" é latina e a palavra "lunático" significa aquele que é da Lua, é derivada do nome desta deusa romana.

A Segunda-feira, segundo dia da semana, também é consagrado para esta Deusa.

Simbolo da regeneração, que dá vida as forças do cosmo, a Lua representa a Deusa Luna como uma guardiã da sabedoria e poder mágico.

Suas mãos conectadas acima de sua cabeça criam um halo de conhecimento sagrado.
A barriga contém a gênese da luz na escuridão do útero.

Ela mantém a freqüência de toda a vida homenageando o Grande Mistério Cósmico em equilíbrio com a manifestação da criação terrena.

Usando este símbolo sagrado aumenta-se a criatividade dentro da consciência do indivíduo, e em maior escala, ajuda a manter uma reverência sagrada para com a escuridão que está em processo de dar à luz a luz.

Onde a escuridão prevalece sobre a terra, dentro de indivíduos ou populações, a Deusa Luna silenciosa ressoa uma lembrança e um retorno à razão e ao equilíbrio.

Ao usar este símbolo na água, o poder de ressonância magnética da Lua influencia as moléculas a procurar o Grande Mistério e aprender com o seu poder.

29 de Março - Dia de Druantia

Os Antigos Povos Celtas possuíam uma classe especial de sacerdotes, os Druídas, muito respeitados por eles e outros povos daquele período, estamos falando de aproximadamente 1.500 anos antes do Nascimento de Cristo.

Entre os Druídas haviam muitos Deuses a reverenciar, uma vez que a maioria das antigas Religiões ou Doutrinas eram Politeístas.
Druantia provavelmente teve sua origem na Gália, a raiz do Drus seu nome, significa carvalho. 

Druantia é a Deusa celta dos carvalhos, pinheiros e também da fertilidade.
Seu nome deriva da raiz indo-européia "deru", que significa árvore ou madeira.
Também chamada de Rainha dos Druidas, Druantia está associada com a fertilidade de plantas e os seres humanos, rege questões sobre sexo e paixão. 
 
A Ela é creditada a criação do calendário celta das árvores, que divide o ano em 13 meses, que correspondem aos ciclos da Lua. 

Druantia era considerada a deusa dos Druidas, extremamente bela e generosa segundo as Lendas Antigas, exercia influência sobre a criatividade, fertilidade, a paixão, atividades sexuais, nascimento, morte, metempsicose e conhecimento.
Era também conhecida como deusa Fir, deusa da sabedoria e protetora de todas as árvores.

Neste dia dirija-se a uma árvore e ofereça mel e leite em homenagem a Druantia


Era tida como a Senhora das Árvores, sendo-lhe creditada a invenção do “Calendário das Árvores”, o poder do conhecimento e da criatividade. Os Druidas, posteriormente associaram este calendário ao alfabeto ogâmico, criado pelo deus Ogma, bardo da tribo dos seres sobrenaturais Tuatha e Danann, detentor da eloquência e inspiração artística.

copiado  de Teia de Thea

MENSAGEM DA DEUSA: 

Use do potencial de sedução, de criatividade e charme para conquistar seus objetivos.


Sou Druantia, Mantenedora do Carvalho, Rainha das Dríades.
Nossas amigas árvores estão em perigo mortal em toda a Terra,
e precisamos unir-nos para mantê-las seguras!
Minha Árvore da Vida mostra que estamos todos conectados,
tanto no corpo como na ação.
Todos nós podemos fazer escolhas sábias,
e nós podemos salvar as nossas preciosas florestas.


28 de Março - Dia de Kwan Yin


deusa japonesa e chinesa protetora dos lares, da compaixão e da cura, a Deusa da Misericórdia - O Anjo da Guarda do Budismo

Da mesma forma que Nossa Senhora representa o espírito que guia Roma, para os fiéis do budismo esse espírito é representado por Kuan Yin.


De acordo com uma lenda chinesa maravilhosa, no momento em que estava pronta para entrar no Céu, Kuan Yin ouviu um clamor, um lamento angustioso por sua partida que vinha do inconsciente coletivo da humanidade. Seu coração encheu-se de compaixão e, comovida parou quando os seus pés tocavam o glorioso limiar e prometeu ficar neste planeta trabalhando e servindo para evolução da humanidade. Este juramento bodhisatva, é feito por todos os Mestres que servem a Luz da Grande Fraternidade Branca. Eles deixam de seguir as sua evolução em planos superiores, para servir a Luz de seus irmãos ainda encarnados.

Daí o seu nome ‘Kuan (Shih) Yin’ (uma pessoa que se conscientiza ou, ouve o clamor, ou prece, do mundo).

Shâkyamuni, o deus principal no budismo antigo, continua ocupando o cargo de honra em diversos templos, mas é totalmente ofuscado pelo Deus ou Deusa da Misericórdia.
"Os homens a amam, as crianças a adoram, e as mulheres oferecem suas orações em cânticos. Seja qual for o templo, quase sempre no seu interior há uma capela de Kuan Yin; ela encontra moradia em muitos lares, e reina no altar de muitos corações.
Considerada a deusa padroeira das mães, e ao lembrar-nos do valor relativo de um filho na tradição chinesa, podemos avaliar a sinceridade do ritual oferecido a ela.

Kuan Yin protege-nos nos momentos de tristeza, e portanto, a prece:

"Grande misericórdia, grande piedade, salve da miséria, salve do sofrimento",

é oferecida milhões de vezes, ou, a encontrada em livros:

"Grande misericórdia, grande piedade, salve da miséria, salve do mal, expansiva, grande, eficiente, responsiva Buda Kuan Yin".

Ela salva o marinheiro perdido no mar pela tempestade, e portanto, ofusca a Imperatriz do Céu, que, representada pela versão feminina de Netuno, é a padroeira dos marinheiros;

durante as secas, os mandarins oferecem louvor ao Dragão e Imperador Perolado, mas se esses falharem, a Deusa da Misericórdia de bronze que habita nas colinas, faz chover.

Outros deuses são temidos, ela é amada;

outros possuem rostos negros e desdenhosos, mas sua fisionomia é radiante como o ouro e suave como os raios da Lua;

aproxima-se das pessoas e as pessoas aproximam-se dela.

O seu trono encontra-se sobre a Ilha de Pootoo [P’u T’o], à qual Kuan Yin chegou flutuando sobre um lírio-d’água.

Representa o modelo da beleza chinesa, e dizer que uma mulher ou uma menina é uma ‘Kuan Yin’, trata-se do maior elogio que se atribui a graciosidade e ao encanto.

Considerada feliz por festejar seu aniversário em 3 ocasiões – o 19° dia da segunda, sexta e nona luas".

A Salvadora Budista

"O seu nome Kuan Yin atribui-se ao fato de qualquer clamor de miséria ela ‘ouve a voz e remove a tristeza’.

O seu apelido é ‘O Buda que nos livra do medo’.
Em caso de encontrar-se no meio do fogo e invocar o nome Kuan Yin, não se queimará;
se arremessado por vagalhões gigantescos, invoque seu nome e alcançará águas rasas.
Se comerciantes atravessam o mar buscando ouro, prata, pérolas e pedras preciosas, e deparam-se com uma tempestade que ameaça levar todos ao reino maligno do diabo, se alguém a bordo invocar o nome Kuan Yin, o navio será salvo.
No meio de um conflito, se o nome Kuan Yin for invocado, a espada e lança do inimigo caem ao chão sem causar nenhum dano.
Se os 3.000 grandes reinos são visitados por demônios, invoque o seu nome e esses demônios não conseguem olhar ninguém com seu olho maligno.
Se, interiormente, tem maus pensamentos, apenas invoque Kuan Yin e seu coração será purificado.

O nome Kuan Yin, ao ser invocado, pode dispersar a ira e a raiva.
O lunático que ora a Kuan Yin alcançara a sanidade.
Kuan Yin concede filhos à mães, e se a mãe pedir uma filha esta será linda.
O homem que oferece os cânticos com os nomes dos 6.200.000 Budas, numerosos como as areias do Ganges, tem o mesmo mérito que aquele que simplesmente invoca o nome Kuan Yin.

Kuan Yin pode tomar a forma de Buda, príncipe, sacerdote, freira, estudiosa, qualquer forma ou aspecto, pode ir a qualquer reino, e pregar a lei em toda a Terra."


OM MANI PADME HUM

Tradução: Recebemos a Jóia da consciência no coração do Lótus. (O Lótus é o chakra).

Significa - Recebemos a jóia da consciência divina, no centro do nosso chakra da coroa.

Ao recitarmos o Mani Mantra, estamos penetrando a mesma roda metafísica que os Mestres Ascensos e não Ascensos da Grande Fraternidade Branca que estão constantemente empurrando - a Roda da Evolução Espiritual da humanidade.

Este mantra tem sua origem na Índia e de lá foi para o Tibet.
Os tibetanos não conseguiram entoá-lo da mesma forma, mudando sua pronuncia para: OM MANI PEME HUNG este é o mantra mais utilizado pelos budistas tibetanos.
Qualquer pessoa pode entoá-lo.
Estando feliz ou triste, ao entoar o "Mani Mantra", uma espontânea devoção surgirá em nossa mente e o grande caminho será fortemente realizado.

O mantra OM MANI PADME HUM, é fácil de pronunciar e poderoso pois contém a essência de todo o ensinamento.
Muito tem sido escrito sobre este mantra e é impressionante que apenas seis silabas possam atrair tanto comentário importante.
De acordo com Dalai Lama, o propósito de recitar este mantra é transformar o corpo impuro de suas palavras e mente, no puro e louvado corpo, palavra e mente de um Buda.
O som de cada silaba é visto como tendo uma forma paralela espiritual.
Fazer o som de cada silaba portanto, é alinhar a si mesmo com aquela qualidade espiritual particular e para se identificar com isto.
Existe também um grande numero de outros beneficio que resultam da repetição deste mantra, incluindo a produção do mérito e destruição do carma negativo.

OM - A primeira silaba, recitá-la o abençoa para atingir a perfeição na pratica da generosidade.
MA - Ajuda a aperfeiçoar a pratica da ética pura.
NI - Ajuda a atingir a perfeição na pratica da tolerância e paciência.
PAD - Ajuda a conquistar a perfeição na pratica da perseverança.
ME - Ajuda a conquistar a perfeição na pratica da concentração.
HUM - Ajuda na conquista da perfeição na pratica da sabedoria.

A senda das seis perfeições é a senda de todos os budas.
Cada uma das seis silabas elimina um dos venenos da consciência humana:

OM - Dissolve o orgulho
MA - Liberta do ciúme e da luxuria.
NI - Consome a paixão e os desejos
PAD - Elimina a estupidez e danos.
ME - Liberta da pobreza e possessividade.
HUM - Consome a agressão e o ódio.

Os mantras são freqüentemente, os nomes dos budas, bodhisattvas ou mestres e que o compuseram.
Os mantras são investidos com um infalível poder de ação, de forma que a repetição do nome da deidade, transmite as qualidades de sua mente.
O nome é idêntico a deidade ou essência da deidade que o compôs e com ele presenteia a humanidade dando a seus irmãos a essência de tudo aquilo que ele atingiu em muitas vidas de esforço e sagrado oficio.
Dando o glorioso resultado de seu momentum de sabedoria.

Ao recitar este mantra, o meditante também pode conseguir as qualidades do Chenrezig, o bodhisatva da compaixão, conhecido na tradição Mahayana como Avalokitesvara ou Kuan Yin.

O mantra OM MANI PADME HUM, chamado de mani mantra, levanta algumas traduções misteriosas.
Diz a tradição que este mantra significa o nome Chenrezig.
Contudo, Chenrezig não tem nome, mas ele é designado por nomes.
Estes nomes são a taça para a compaixão a benção e a força que ele derrama.
Portanto este é apenas um dos nomes de Chenrezig, MANI PADME, colocado entre as duas silabas sagradas OM e HUM.
Parece-nos que Chenrezig, Avalokitesvara e Kuan Yin são os nomes do mesmo buda da Compaixão.

OM - Representa o corpo de todos os budas, também o começo de todos os mantras.
MANI - Jóia em sânscrito
PADME - Lótus ou chakra
HUM - A mente de todos os budas e freqüentemente finalizam os mantras.
MANI - Refere-se a Jóia que Chenrezig segura no centro de suas duas mãos.
PADME - Refere-se ao lótus que ele segura na sua segunda mão esquerda.

Dizendo MANI PADME estamos nominando Chenrezig através de seus atributos: "Aquele que segura a Jóia e o Lótus". Chenrezig ou Jóia do Lótus são dois nomes para a mesma deidade.

Quando recitamos este mantra, estamos na verdade repetindo o nome de Chenrezig.
Este mantra é investido com a benção e o poder da mente de Chenrezig, sendo que ele mesmo reúne a benção e a compaixão de todos os budas e bodhisattvas.
Desta forma o mantra é imbuído com a capacidade de purificar nossa mente de sua obscuridade. O mantra abre a mente para o amor e compaixão e a conduz ao despertar.
Sendo a deidade e o mantra um em essência, significa que é possível recitar o mantra sem necessariamente trabalhar a visualização.
A recitação permanece efetiva.
Cada uma das seis silabas sagradas retêm um efeito purificador genuíno.

OM - Purifica o corpo
MA - Purifica a palavra
NI - Purifica a mente
PAD - Purifica as emoções
ME - Purifica as condições latentes
HUM - Purifica o véu que encobre o conhecimento

Cada silaba é ela mesma uma oração

OM - É oração dirigida ao corpo dos budas
MA - É oração dirigida à palavra dos budas
NI - É oração dirigida à mente dos budas
PAD - É oração dirigida às qualidades dos budas
ME - É oração dirigida à atividades dos budas
HUM - Reúne a graça (benção) do corpo, palavra, mente, qualidade e atividade dos budas.

Estas seis silabas correspondem à transcendental perfeição dos budas secretos.

OM - Ratnasambhava, Buda que nos inunda com sua sabedoria de igualdade e nos liberta do orgulho espiritual, intelectual e humano
MA - Amogasidhi, Buda que nos inunda com sua sabedoria que a tudo realiza, a sabedoria da ação perfeita e liberta-nos do veneno da inveja e do ciúme.
NI - Vajrasattva, Buda nos inunda com a sabedoria da vontade diamantina de Deus. Consome em nós o veneno do medo, da duvida e da descrença em Deus, o único Guru.
PAD - Vairochana, Buda que nos inunda com a sabedoria penetrante do dharmakaya, a poderosa Presença Eu Sou. Consumindo em nós o veneno da ignorância.
ME - Amithaba, Buda que nos inunda com a sabedoria da discriminação e consome em nós os venenos das paixões : Todos os desejos intensos, cobiça, avareza e luxuria.
HUM - Akshobhya, Buda que nos inunda com a sabedoria que se reflete como num espelho e consome em nós os venenos de raiva, ódio e criações de ódio.

As seis silabas sagradas OM MANI PADME HUM são a essência das cinco famílias de budas secretos.
São a fonte para todas as qualidades e profunda alegria.
É a senda que conduz a uma elevada existência para a liberdade da alma.

Dia 24 de março - Dia de Arcanjo Gabriel

GABRIEL "HOMEM DE DEUS" ou "DEUS É A MINHA FORÇA"

É o incrementador da Esperança.
Tutela também a Revelação.
Colabora em todos os relacionamentos, abrindo as ligações do amor e do coração.

Quem se conecta com Gabriel está-se abrindo à criatividade e às artes; tudo o que está vinculado ao nível emocional e a todo o tipo de relacionamento, seja com animais, pessoas e anjos.

Guarda o Oeste.
Quarto Raio: Gabriel e Esperança
Templo: Templo da Esperança
Local: Plano etérico entre Sacramento e o Monte Shasta, Califórnia, EUA
Chama: Branco Cristal
Música chave - Parsifal, Ato I (Wagner)

O Arcanjo Gabriel conserva a concepção original da perfeição – o Plano Imaculado – da humanidade e está pronto a dar o Seu auxílio a todos que O procurem.

Muitos Seres Divinos oferecem ao homem Sua assistência, se para isso forem invocados.
A Chama Gêmea de Gabriel, que conheceis como Esperança (Hope), é exatamente o que Seu nome significa.
Ela transmite aos corações humanos a esperança e o entusiasmo por uma próxima melhora; e Suas irradiações são potentes, elevadas, alegres e inspiradoras.
Da mesma forma que o calor irradiado por um aquecedor proporciona conforto ao vosso lar, as vibrações do pensamento, sentimento, palavras e atitudes de uma inteligência – Divina ou humana – influem em vossa atmosfera.
Não se trata de misticismo, mas de um fato científico.
A proximidade de um aquecedor produz a sensação de calor; a proximidade de um Mensageiro Divino eleva a consciência e o mundo dos circunstantes, que absorvem e são contemplados com bênçãos, virtudes e dons espirituais da Presença “EU SOU” daqueles Seres.
O ARCANJO GABRIEL DIZ: Benditos sede vós, filhos e filhas da vivente encarnação divina!
Eu venho do trono do Rei dos Reis e trago-vos a recordação de vossa identidade celeste.
Trago-vos a herança da recordação que somente está à espera de ser reconhecida por vós, a fim de que possais, no mundo exterior, efetivar a Glória do Pai, para libertar e salvar a Terra que, até agora, foi vossa hospedeira paciente e protetora.
Eu venho do reino da "Luz Divina, que jamais falha" ao limitado e obscuro reino da Terra e advirto-vos: deuses e deusas!
Porque vos mantendes nas trevas, quando em vossos corações arde o Fogo da imortalidade?
Tudo está contido neste Fogo.
Ele tem o poder de harmonizar, purificar, curar e restabelecer a ordem, em qualquer condição, por meio do pensamento.
Eu sou conhecido como o Arcanjo da Ressurreição!
É meu privilégio e honra cooperar com a Hierarquia Cósmica, para trazer de volta a maestria à vida das consciências, maestria essa que deriva do desenvolvimento de todos os homens e que foi assegurada aos espíritos, em juramento.
Permaneço na Esfera do Quarto Reino e colaboro com o Grande Mestre Ascensionado Serapis Bey e com o “EU SOU” - o próprio Santo-Ser-Crístico da raça humana.


Eu sou bem preparado para levar à perfeição divina, cada uma destas emanações de vida.
Realizo a minha adoração no mesmo Templo, isto é no Templo da Quarta Esfera ou Quarto Raio (o Templo de Serapis Bey) e estou, dia a dia, lado a lado, com vosso próprio Santo-Ser-Crístico. Desejo transmitir minha opinião de que chegou a hora de abrirdes as portas e janelas de vossas almas à realidade da preciosa e sublime Presença Divina, que foi feita à imagem de Pai-Mãe deste Sistema e que tendes o compromisso de corporificar no mundo físico.

Religião não é apenas o ato externo de uma cerimônia; ao contrário, é uma questão da vivência diária, de cada minuto, pautada por completo bom-senso, disciplina, autodomínio e reflexão: é ainda o desdobramento do amor e gratidão a Deus, que vos deu a vida e vos mantém no Universo há bilhões de anos.
Com todo o Poder de meu coração eu carrego agora os vossos três corpos: emocional, etérico e físico, com o glorioso Poder da Chama da Ressurreição para inverter a corrente de energia de vossos corpos, que se encontram aprisionados nas oitavas mais baixas, que formam um campo magnético que vos atrai e prende a Terra.
Deveis ser livres.
Eu, Gabriel, falo aos vossos corações.
Recordai-vos de mim!

Apelai à Chama da ressurreição:
deixai tudo o que estiver ‘morto’ em vós reviver: a luz divina, a juventude divina, a força vertical divina, o ouvido divino, a beleza divina, o amor divino!
A envolvente natureza divina vive em vós!
Existe uma centelha em vossos corações; do contrario não poderíeis ter uma forma física.
Nesta centelha encontra-se a onipotência de Deus e eu a alento com a Chama de Meu Espírito: Vós que estais dormindo, vinde todos!
Desenvolvei a mestria e sede divinamente livres!


Arcanjo Gabriel
"MENSAGEIRO DE DEUS"


É o príncipe dos Anjos.
Gabriel significa Homem de Deus ou Força de Deus.
É transmissor de boas novas e um promotor de mudanças.
Gabriel anuncia aos seres humanos,
qualificados para receber suas mensagens,
os importantes deveres do comprometimento espiritual
que têm para o benefício da Terra.
É encarregado de resgatar todos os seus protegidos na Terra,
para após a morte, encaminhá-los aos céus.
É o Anjo da anunciação, da ressurreição,
da misericórdia e da verdade."



ASSOCIAÇÕES

Signo: Câncer
Planeta: Lua
Elemento: Água
Cor: Violeta
Pedra: Esmeralda
Perfume: Lírio
Flor: Rosa Branca
Vela - Branca ou Prata
Incensos - Alfazema, erva-cidreira, jasmim, mirra, rosa branca e sândalo
Salmos - 4, 36, 126 ou 147
Atributos: Poder e capacidade

Atua principalmente no Emocinal das criaturas

Deve ser invocado para: promover mudanças, proteção nos negócios, aumentar a inteligência e a harmonia no lar; acalmar as tensões e os relacionamentos conflitantes; apressar o recebimento de boas notícias ou o regresso de pessoas que estão distantes ou até desaparecidas; proteger a gestação e o parto; desenvolver e aguçar a intuição; e proteção nas viagens.

Invocação:

"Arcanjo Gabriel,

Consolo de Deus pelos raios da Lua,

invoco a tua hoste divina:

estende-me tuas luzes e faze clara a minha senda;

diante do tropeço, soergue-me;

diante da perda de minhas energias, ensina-me o caminho de volta;

que eu possa outra vez, sentir o amor de Deus,

apenas contemplando tudo o que me cerca

e assim, alimentar-me da energia universal;

que possas me reconduzir à corrente nutritiva de energia da vida.

Seja eu contigo em sintonia, agora e para todo o sempre.

Amém."

Para ter sabedoria e alcançar os objetivos:

Eu Sou a plena compreensão e iluminação deste assunto que eu preciso saber e compreender.
Eu Sou o coração do Criador e eu crio idéias e realizações que nunca antes foram criadas por mim.
Inteligência Eu Sou.
Talento Eu Sou.
Qualifico isto como tudo que for preciso.
Eu Sou o amor governante, a sabedoria e o poder
com sua conseqüente atividade inteligente que atua neste dia,
em cada coisa que eu pense ou faça.
Eu comando que a atividade infinita perdure em todos os instantes.
Que ela seja a guarda sustentadora ao meu redor,
para que eu mova, fale e aja somente dentro da ordem divina.
A luz que me ilumina é a luz da chama sagrada.
Eu Sou esta inspiração pura.
Eu Sou a suprema atividade inteligente através de minha mente e coração.
Minha força, eu domino e controlo.
Eu Sou a presença da atividade milagrosa em tudo o que desejo.
E seja feito.

O que deve pedir :

Dons Espirituais - Diretriz para a sua vida espiritual, que revelem o plano e propósito da sua vida, que dissolvam o desencorajamento e tragam alegria, felicidade e plenitude.

Ajuda Principal – Para estabelecer ordem e disciplina na sua vida, organizar seu ambiente físico, mental e emocional inclusive nas compras para sua casa e no redirecionamento da sua educação e carreira.


Atuação mundial – Ajudam nas operações para a manutenção da Paz, distribuição de alimentos e auxílio médico, levando consolo às vítimas de desastres naturais.


No livro de Daniel, Gabriel ajuda o profeta a compreender as suas visões e lhe dá a sabedoria e entendimento.

Em Lucas Gabriel diz a Maria que ela será a Mãe do filho de Deus.

Gabriel e seus anjos ajudarão a compreender o plano que você, seu EU SUPERIOR e outros seres espirituais definiram para a sua vida antes do seu nascimento.

Os anjos falarão com você sempre que procurar escutá-los.
Uma das melhores técnicas para obter orientação dos anjos é pedir que transfiram informações para a sua mente enquanto dorme.

Cada Arcanjo mantém uma casa invisível, um retiro espiritual, sobre certos locais específicos na terra.

Cada retiro é um ponto de reunião dos anjos e um centro de instrução para as nossas almas.

Aí existem edifícios que se assemelham a catedrais e salas de conferências como as das universidades.

Você pode pedir instruções sobre qualquer assunto que possa imaginar - sobre a sua psicologia e pessoal, relacionamento com pessoas e até conceitos matemáticos.

FIAT!!
"EU SOU E ESTOU TRAZENDO AO MUNDO A PLENITUDE DA MINHA MISSÃO!"

DE UM SER SUPERIOR PARA VOCÊ!!!

Para: Você
Data: Hoje
De: DEUS
Assunto: Você
Referência: sua vida

Olá, eu sou Deus.

Hoje eu estarei cuidando de todos os seus problemas.

Eu não precisarei da sua ajuda.

Assim sendo, tenha um ótimo dia.

Amo você.

P.S.: E lembre-se...

Se a vida lhe trouxer uma situação que você não consiga lidar, não tente resolvê-la por você mesmo(a)!

Gentilmente, coloque na caixa APDF (Algo Para Deus fazer).

Eu pegarei e colocarei dentro do MEU TEMPO.

Todas as situações serão resolvidas, mas em MEU TEMPO, não no seu.

Assim que esta situação for colocada nesta caixa, não se preocupe mais com ela.

Em vez disso , foque em todas as coisas maravilhosas que estão presentes hoje em sua vida.

Não posso interferir em algo que dei de presente à humaninade.. algo chamado LIVRE ARBÍTRIO, mas ficaria realmente muito feliz se pudesse passar esta mensagem adiante.

Você não faz idéia de como esta mensagem pode tocar vidas!

Agora vou indo. Novamente, tenha um ótimo dia!

Sou filha da Deusa, sou o que quero ser, sou feliz, sou livre!!!!

"...que nada nos limite, que nada nos defina, que nada nos sujeite.

Que a liberdade seja nossa própria substância, já que viver é ser livre.

Porque alguém disse e eu concordo que o tempo cura, que a mágoa passa, que a decepção não mata, e que a vida sempre, sempre continua..."

"Ouçam as palavras da Grande Deusa, que em outras Eras era chamada de Ártemis, Diana, Astarte, Ishtar, Afrodite, Cerridwem, Morrigan, Freya entre muitos outros nomes."




"Sempre que necessitarem da Minha ajuda, reúnam-se em um local secreto,
pelo menos uma vez por mês,
especialmente na Lua Cheia.

Saibam que Minhas leis e amor os tornarão livres,
pois nenhum homem pode proibir seu culto a Mim
em suas mentes e em seus corações.

Prestem atenção a como vocês chegarão à Minha presença,
e Eu lhes ensinarei profundos mistérios,
antigos e poderosos.

Não exijo sacrifícios, nem dor em seu corpo,
pois Sou a Mãe de todas as coisas,
a Criadora que os criou a partir de Meu amor,
e Aquela que dura através dos tempos.
Sou Aquela que é a beleza da Terra,
o verde das coisas vivas.

Sou a Lua Branca cuja luz é plena entre as estrelas,
e suave sobre a Terra.

Que Meu alegre culto esteja em seus corações,
pois todos os atos de amor e prazer são Meus rituais.

Vocês Me vêem no amor de homem e mulher,
pais e filhos, entre humanos e todas as Minhas criaturas.
copiado do blog:http:// segredodebruxa.blogspot.com

Quando vocês criam com suas próprias mãos,
lá estarei Eu.

Eu sopro o sopro da vida nas sementes que plantam,
seja uma planta ou criança.

Estarei sempre ao seu lado,
sussurrando palavras ternas de sabedoria e orientação.
Todos os que buscam os Mistérios
devem vir a Mim,
pois Eu sou a Verdadeira Fonte,
a Guardiã do Caldeirão.

Todos os que buscam Me conhecer sabem disso.
Toda a sua busca e seus anseios são inúteis
a não ser que conheçam o Mistério:

pois se o que buscam não conseguem achar em seu interior,
não o conseguirão no exterior.

Portanto, estejam atentos,
estou com vocês desde o princípio,
e os recolherei ao Meu seio ao fim de sua existência terrena."

Sabat de Mabon – Equinócio de Outono - 20 de março

O equinócio é o momento em que o Sol passa pelo equador celeste, quando o dia e a noite duram o mesmo tempo – ao contrário dos solstícios de inverno e de verão, quando o dia é mais curto em um e mais longo no outro. É um tempo de equilíbrio e balanço, mas as sombras começam a dominar a luz.

É tempo agradecer a Deusa (que é a Senhora de Abundancia) pela colheita que nos sustentará pelos meses escuros do Inverno, onde se festeja a abundância da Mãe Terra. e se dá graças pelo que foi colhido e caçado.



Mabon marca o começo do Outono e é também a fase de ancião do Deus Sol que se prepara para morrer...
Ele está envelhecendo e morrendo lentamen
te, como as plantas colhidas da Terra.
Ele doou todo o seu poder aos seres humanos através das colheitas.





É um período de morte e renovação, quando as folhas ficam douradas e as hortas se reciclam, e antigamente se abatia animais cuja carne seria salgada para consumir no inverno.
Esse Sabbat é simbolizado pelo espiral duplo, u
m vai e outro que retorna, para nos lembrar que começamos a jornada pelo ponto mais escuro do ano e que a morte sempre é seguida pelo renascimento, da mesma maneira que o Inverno sempre é seguido pelo Verão.


É o recolhimento do D
eus em forma de semente no ventre da Mãe e a promessa do seu retorno.

É hora de meditar sobre os projetos, a esc
olha das “sementes” (nossos sonhos) que serão plantadas no próximo ano.
Temos que soltar, deixar ir, pessoas, sentimentos e objetos que não tem mais significado em nossas vidas, pois isso é o que impede de alcançar aquilo que queremos, quando não conseguimos compreender que cada coisa tem seu tempo.
Os temas desse Sabbat são equilíbrio e ação de graças.

Atividade: Faça uma cornucópia da Abundância


A cornucópia, é um símbolo de genero
sidade, boa colheita e tem implicações mágicas bem-definidas.
O próprio chifre é um símbolo fálico, representante do Deus.
O interior do chifre simboliza o útero, especialmente quando está cheio de generosidade da terra fértil, e representa a Deusa.

Como Mabon é a Ação de Graças das Bruxas, é muito apropriado utilizar esse símbolo para enfeitar nossa mesa.
Faça ou compre uma cornucópia.

Encha de frutas, flores, grãos e moedas, de forma que eles sejam derramados sobre a mesa. Acrescente outras coisas mágicas, como folhas de louro, ou fitas com cores que representem a prosperidade.
Lembre-se a magia está no ato da confecção, colocando todo o entendimento e intenção de abençoar a mesa (os familiares e amigos) com prosperidade.

Bebida Mágica de Mabon
· Sidra de maçã quente;
· Canela;
· Pequenas rodelas de maçã.


A maçã rege o coração e é o simbolo da Deusa, a sidra representa o eu, por si só já é uma poção de amor.
A canela, é governada pelo Sol, representa a essência solar e, ao ingerirmos esta bebida aquecida, é como se estivéssemos ingerindo a união do Deus e da Deusa.

Este é um momento para sentir a gratidão por todas as dádivas recebidas, é um momento de partilha e comunhão entre todos com um “banquete” de abudância em honra ao Deus.
A mesa é coberta com legumes, carnes deliciosas e aves, tortas e bolos e outras delícias. (enfeite-a com a cornucópia e sirva a bebida mágica!!).
Nesse encontro de familiares e amigos que tem como propósito o agradecimento, é feita a passagem do Cálice da Gratidão entre os presentes.
Um Cálice repleto de vinho é abençoado e passado a cada integrante da mesa.
Conforme o Cálice passa, as pessoas vão fazendo seus agradecimentos (sem beber do cálice). Quando todos tiverem agradecido por todas as bênçãos, o Cálice é passado, eles bebem e passam adiante.
Isso continua até a Taça esvaziar, todos bebendo em amor, bênçãos e gratidão a tudo.

Aqui algumas palavras que podem ser ditas nesse momento:

Temos muito diante de nós e por isso somos gratos.

Temos tantas bênçãos, e, por isso somos gratos.

Há outros não tão afortunados, e por isso estamos gratos.
Vamos fazer agradecer aos deuses que nos abençoam
e pedir para que as pessoas necessitadas sejam também abençoadas como somos hoje.

Devemos também pedir pelos que estão doentes e pelas pessoas mais velhas, que precisam de nossa ajuda e conforto, assim como é a época ideal para prestar homenagens a nossos antepassados femininos, queimando papéis com seus nomes no caldeirão e lhes dirigindo palavras de gratidão e bênçãos.

É um bom momento para limpar a casa, com aintenção de desobstruir toda desordem ao redor de seu lar.
As portas e cantos da casa são abençoadas para protegerem aqueles que vivem dentro dela. Separe objetos e roupas que não usa mais, e doe para pessoas carentes.
É uma ótima época para feitiços que visam seu equilíbrio, seja financeiro, amoroso ou profissional.
Remove as culpas que não pertencem a você substituindo-as por carinho e aceitação.
Aumente sua auto-estima.
Leia muito, renove também seus conceitos intelectuais.
Ande de pés descalços na natureza é ótimo e equilibre-se energeticamente.

Como esse é o dia tradicional de agradecer pela colheita, deixe na porta de sua casa ou em um jardim, oferendas de comida e bebida para os duendes.

A noite de Mabon é uma boa oportunidade para pedir-lhes proteção, harmonia familiar e prosperidade.
Não esqueça, que os duendes e as fadas sempre farão por ti o que estiver disposto a fazer por eles.
O equilíbrio de dar e receber é o preço normal que temos que pagar, principalmente quando estamos trocando presentes com esses seres.

Feliz sabat de Mabon! Abençoados sejam todos aqueles que agradecem!!!

José por Paulo Coelho



Na pequena introdução que faço antes da prece, costumo lembrar que, das cinco vezes que a palavra “sonho” aparece no Novo Testamento, quatro se referem a José, o carpinteiro.
Em todos estes casos, ela está sempre sendo convencido por um anjo a fazer exatamente o contrário do que estava planejando.
O anjo pede que ele não abandone sua mulher, embora ela esteja grávida.
Ele podia dizer coisas do tipo “o que os vizinhos vão pensar”.
Mas volta para casa, e acredita na palavra revelada.
O anjo o envia para o Egito.
E sua resposta podia ter sido:
- “mas eu já estou aqui estabelecido como carpinteiro, tenho minha clientela, não posso deixar tudo de lado agora.”
Entretanto, arruma suas coisas, e parte em direção ao desconhecido.
O anjo pede que volte do Egito.
E José podia ter de novo pensado:
- “logo agora que eu consegui estabilizar de novo minha vida, e que tenho uma família para sustentar?”
Ao contrário do que o senso comum manda, José segue seus sonhos.
Sabe que tem um destino a cumprir que é o destino de quase todos os homens neste planeta: proteger e sustentar sua família.
Como milhões de Josés anônimos, ele procura dar conta da tarefa, mesmo tendo que fazer coisas que estão muito além de sua compreensão.
Mais tarde, tanto a mulher como um dos filhos se transformam nas grandes referências do Cristianismo.
O terceiro pilar da família, o operário, é lembrado apenas nos presépios de final de ano, ou por aqueles que tem uma devoção especial por ele, como é o meu caso, e como é o caso de Leonardo Boff, para quem escrevi o prefácio de seu livro sobre o carpinteiro.

Reproduzo parte de um texto do escritor Carlos Heitor Cony (espero que seja mesmo dele, porque descobri na internet!):

“ Volta e meia estranham que, declarando-me agnóstico, não aceitando a idéia de um Deus filosófico, moral ou religioso, seja devoto de alguns santos do nosso calendário tradicional.
Deus é um conceito ou uma entidade distante demais para os meus recursos e até mesmo para minhas necessidades.
Já os santos, porque foram terrenos, com os mesmos alicerces de barro de que fui feito, merecem mais do que a minha admiração.
Merecem mesmo a minha devoção.
- “São José é um deles.
Os Evangelhos não registram uma única palavra sua, somente gestos, e uma referência explícita:
- "vir justus".
Um homem justo.


Como se tratava de um carpinteiro, e não de um juiz, deduz-se que José era acima de tudo um bom.
Bom como carpinteiro, bom como esposo, bom como pai de um garoto que dividiria a história do mundo.”

Belas palavras de Cony.

E eu, muitas vezes, leio aberrações do tipo:


“Jesus foi para a Índia aprender com os mestres do Himalaia”.

Para mim, todo homem pode transformar em sagrada a tarefa que lhe é dada pela vida, e Jesus aprendeu enquanto José, o homem justo, o ensinava a fazer mesas, cadeiras, camas.
No meu imaginário, gosto de pensar que a mesa onde o Cristo consagrou o pão e o vinho, teria sido feita por José – porque ali estava a mão de um carpinteiro anônimo, que ganhava a vida com o suor do seu rosto e, justamente por causa disso, permitia que os milagres se manifestassem.

JOSÉ, O CARPINTEIRO
Os trinta anos que tu, José, viveste feliz ao lado de Jesus e de Maria constituem o que chamamos o período da vida "oculta" de Jesus.
Neste período, nada de maravilhoso, nada de sensacional, nada de brilhante.
O teu nome, "José", a tua profissão "carpinteiro" nada têm de brilhante.
A tua pessoa, "apenas um homem bom", não ostenta nada que nos cative pela modernidade, pela grandeza, pelo poder, pela sabedoria, pela eloquência.
Não temos no Evangelho uma só palavra tua...
Outros santos receberam nomes mais significativos e gloriosos: São Pedro "Apóstolo", São Miguel "Arcanjo", Santa Rita "Advogada dos Impossíveis", São Gregório "Magno"...
Tu, porém, José.
Simplesmente, José.
Tua figura contrasta com os nossos sonhos de vir a ser protagonistas, importantes, heróis, magnatas por vocação, cobiçadores de títulos pomposos de reis e rainhas, príncipes e nobres ou pelo menos doutores!
Perdoa-nos, José, se não te achamos interessante.
Se não aceitamos o teu jeito de ser.
Se, por favor e respeito, te achamos o "segundo-da-fila" mais ilustre da história humana.
Os escribas e os fariseus, querendo convencer a si mesmos e aos outros da pouca categoria de Jesus, perguntavam com desprezo:
"Não é este o filho do carpinteiro?"
Tu, José, deste o pão ao teu filho, ensinaste-lhe o trabalho da plaina, do serrote e do martelo, mas status e títulos de nobreza, não lhe deste.
As tuas mãos calejadas falavam em bom som da tua pouca categoria.
E essa foi a herança que transmitiste a teu filho.
Ele, como tu, um "carpinteiro".
As mesmas mãos calejadas que um dia desposariam a cruz, o mesmo martelo desgastado pelo uso, o suor das duas frontes, a tua e a do teu filho, caindo ao vaivém da plaina e do serrote, a mesma roupa surrada passada de pai para filho, a mesma oficina de quintal, a mesma linguagem mal concordada e o típico sotaque interiorano, a mesma comida pouca e monótona dos pobres de Nazaré, a mesma vontade louca de reencontrar, após o trabalho, aquela mulher maravilhosa, Maria, que amavas como esposa e Jesus, como mãe.
Perdão, José, se não te compreendemos.
Se não encarnamos as oito bem-aventuranças evangélicas, nem as oito mil renúncias que elas encerram.
Porque achamos que os pacíficos são alienados, que os que agüentam perseguição são faltos de coragem, que os misericordiosos são assistencialistas, que os pobres são incompetentes, que os mansos não têm caráter e que aos limpos de coração falta ousadia.
Os próprios evangelistas pouco dizem de ti.
Nunca citam uma palavra tua.
Não nos contam um só milagre saído das tuas mãos.
Nem escreveste uma só "epístola" aos nazarenos ...
Apenas nos dizem que eras justo, que eras um homem bom.
Um elogio de segunda classe que fazemos a qualquer um depois de morto.
Uma espécie de prêmio póstumo de consolação que atribuímos a alguém que não é nem muito sábio, nem muito poderoso, nem muito empreendedor, nem ministro, nem autoridade.
Tudo isso escondido na pessoa de um simples carpinteiro, de um zé-qualquer que encarnou como ninguém a humildade, o silêncio, o trabalho, a fidelidade.
Ensina-nos, São José, a ocupar com dignidade e decência o "segundo lugar da fila" do reino de Deus, na qual tu foste um colosso e na qual temos de atuar 99% dos mortais, que não somos heróis, nem ministros, nem primeiras-damas, nem artistas, nem idosos, nem miss universo, nem ouro, nem prata, nem bronze ...
Ensinam-nos a entrar e sair pela porta dos fundos da sociedade; a subir e descer pelo elevador de serviço da Igreja e do Reino de Deus.
A ser úteis, se necessário, na oficina de fundo de quintal, na mina e na construção, recolhendo lixo ou no serviço doméstico como Maria.
Sem que com isso fique diminuído um átimo da nossa dignidade e do nosso valor.
Foi assim que sustentaste Maria, fizeste crescer Jesus, o construtor do Reino.
A tua figura, José, não inspirou maiores escultores, pintores e poetas.
Colocam-te como figura decorativa e de terceira classe nas suas obras.
Apareces lá como um velhinho barbudo e decadente ao lado de uma jovem exuberante e de singular beleza.
Em nome de todos eles, prezado José, te pedimos perdão.
Em parte é tua a culpa, pois propositadamente quiseste desaparecer, encarnando o conselho de João Batista: "Convém que eles cresçam e eu diminua."
Mas ... José, porque és esposo de Maria, pai de Jesus, porque és preferido de Deus, padroeiro da Igreja, modelo de pai, nós te consideramos, junto com Maria, "o primeiro da fila" do Reino de Jesus, teu filho, a quem todas as gerações proclamam feliz e de ti se dizem, por toda a parte, grandes maravilhas.




MEU BOM JOSÉ (na voz de Rita Lee)
Composição: G. Moustaki / Versão: Nara Leão


Olha o que foi meu bom José

Se apaixonar pela donzela

Entre todas a mais bela

De toda a sua galileía

Casar com Deborah ou com Sarah

Meu bom José você podia

E nada disso acontecia

Mas você foi amar Maria

Você podia simplesmente

Ser carpinteiro e trabalhar

Sem nunca ter que se exilar

De se esconder com Maria

Meu bom José você podia

Ter muitos filhos com Maria

E teu oficio ensinar

Como teu pai sempre fazia

Porque será meu bom José

Que esse seu pobre filho um dia

Andou com estranhas ideias

Que fizeram chorar Maria

Me lembro as vezes de você

Meu bom José meu pobre amigo

Que desta vida só queria

Ser feliz com sua Maria





19 de Março - Calendário Mágico

A data 19 de março é repleta de energias especiais e celebrada intensamente em diversas tradições místicas e espirituais. Saiba o que faz desse um dia especial e como você também pode celebrá-lo.

Dia de São José

Na tradição católica, homenageia-se nesse dia São José, esposo da Virgem Maria e pai adotivo de Jesus. São José é invocado como protetor das famílias e dos trabalhadores e a devoção a ele é uma das mais difundidas no catolicismo há muitos séculos. Posteriormente, essa grande alma volta a Terra na personalidade dee Saint Germain!!



Dia de Saint Germain

Para várias correntes espiritualistas, em 19 de março é comemorado o dia do Mestre Saint Gemain que, em uma de suas encarnações, teria sido ninguém menos do que São José. Por isso é que ele é celebrado também nessa data.

Saint Germain é o Mestre do Raio Violeta e dispensador da Chama Violeta, poderosa energia transmutadora que, quando invocada, atua na limpeza cármica e na cura dos males físicos e espirituais.

Para ler mais sobre Saint Germain e saber como invocar o poder da Chama Violeta, CLIQUE AQUI.

Para algumas correntes espirituais, o dia 19 de março de 2010 representa uma data extremamente importante, marcando o início da nova era de ouro de Saint Germain, a partir da qual a humanidade dará um salto em sua evolução espiritual.

Gênios da humanidade

Na Cabala, o dia 19 de março é uma das cinco datas durante o ano que não são regidas por um anjo particular, sendo considerado um dia consagrado aos Gênios da Humanidade. Para ler mais sobre isso, CLIQUE AQUI.
Nesse dia, todos os anjos cabalísticos estão especialmente conectados à Terra, o que torna essa data extremamente poderosa.



Ano Novo Astrológico e Esotérico

No dia 19 de março encerra-se um ciclo astrológico, pois é em 20 de março que a primeira constelação atinge o meio do céu. É quando abre-se o período regido pelo primeiro signo do zodíaco, Áries. Por esse motivo, esotéricos de todo o mundo festejam nessa data seu Ano Novo.

Conectando-se à energia!

Todas essa razões fazem desse uma dia muito especial.
Aproveite para conectar-se com essas energias e trazê-las para sua vida.
Pode ser fazendo uma oração a São José, acendendo uma vela violeta em homenagem a Saint Germain, invocando a presença dos anjos ou simplesmente fazendo uns minutos de meditação e silêncio.
O importante é estar em sintonia com todos aqueles que nessa data se transformam em canais para que a energia positiva flua na Terra.

copiado de http://magiadobem.blogspot.com